O Taj Mahal da minha casa

 

Durante parte da minha infância, um quadro muito interessante decorava a parede da sala lá de casa.

Pouca gente falava sobre ele. E para mim, era algo que sempre fez parte da decoração.

Lembro que alguns diziam que era um castelo, outros que era um palácio.

Uma tia disse uma vez que um rei muito apaixonado mandou fazer para a sua amada esposa.

Os anos se passaram, o quadro sumiu e ninguém sabe dizer que fim teve.

Eu também descobri, tempos depois, que não era um castelo, não era um palácio e não tinha nenhum rei por lá!

Shah Jahan era um imperador e mandou construir este mausoléu em homenagem à sua esposa Mumtaz Mahal, que havia morrido ao dar à luz ao seu décimo quarto filho.

Eu nunca pude imaginar que um dia pudesse estar alí. Vendo, não através da moldura de um quadro, mas sim frente a frente. Eu estava alí. E fiquei paralisado, é claro.

No primeiro momento, você não comenta nada. Não diz nada. Notei o mesmo com outras pessoas que estavam à minha volta.

Você dá alguns passos em sua direção e vai parando e caminhando aos poucos. É imponente, intimida.

Quanto mais você se aproxima fica praticamente impossível vê-lo em sua totalidade. É imenso.

Me perguntei muitas vezes se eu estava mesmo ali. Toquei, sentei e ficava observando e admirando por vários ângulos.

Fiz esta foto e acho que era a minha lembrança mais próxima de quando tinha seis ou sete anos de idade.

Fiquei em silêncio por alguns segundos e me preparei para ir embora. Antes, eu dei uma última olhada e me permiti, dizendo a mim mesmo: “Uau, mas que castelo mais lindo que este rei mandou fazer para a sua esposa!” E deixei o Taj Mahal.

 

Por Marcos Galinari – fotógrafo, videomaker e documentarista // www.instagram.com/marcosgalinari

 

Anúncios
desvieidarota

Olá! Que bom que você veio! Sou Marcos Galinari, fotógrafo, videomaker, documentarista e apaixonado por contar histórias! Todo mundo já deve ter ouvido falar de uma das 7 maravilhas do mundo ou de um roteiro turístico pra lá de deslumbrante não é mesmo?! Mas, o que acontece quando você literalmente desvia da rota e vai além do cartão postal? Com certeza muitas descobertas e grandes experiências! E é este o meu objetivo por aqui. Dividir com vocês muito mais do que dicas de viagens e turismo. Eu quero, através do "Desviei da Rota", poder inspirar as pessoas através das minhas viagens. Vem desviar da rota comigo!

Deixe uma resposta